Mais Médicos: 2.545 profissionais inscritos não se apresentaram

Cerca de 30% dos inscritos no programa Mais Médicos para ocupar as vagas abertas no programa com a saída dos profissionais cubanos não se apresentaram aos municípios de trabalho até esta terça-feira, 18, último dia para comparecerem às cidades escolhidas.

De acordo com a pasta, em balanço divulgado nesta quarta pelo Ministério da Saúde, das 8.517 vagas abertas no primeiro edital de inscrições, 2.545 delas não foram ocupadas. A primeira etapa da seleção foi destinada a profissionais brasileiros ou estrangeiros com registro nos conselhos regionais de medicina.

O ministério chegou a adiar o prazo para esses médicos se apresentarem. O prazo inicial era até sexta-feira (14). Segundo a pasta, os inscritos que não ocuparam as vagas abertas neste primeiro edital perderam o direito de participar do programa. Estes postos de trabalho ficarão disponíveis para novas seleções, diz o MSN.

“A data de início das atividades é definida com o gestor local. Após esta fase, a pasta fará um levantamento das vagas em abertos e das desistências para que nos dias 20 e 21 de dezembro as vagas em aberto sejam novamente ofertadas a outros profissionais com CRM”, explica o Ministério da Saúde.

Do total de vagas abertas pelo Ministério da Saúde para o programa, 34% eram em municípios considerados extrema pobreza Em uma centena delas, a maioria em áreas indígenas, sequer houve interessados. A pasta ainda não revela quais localidades estão sem cobertura do programa.

Em um novo edital, o Ministério da Saúde abriu as inscrições aos profissionais brasileiros e estrangeiros formados no exterior, sem registro no Brasil. Eles precisam entregar 17 documentos para poder participar do Mais Médicos. Assim como já era adotado pelo programa, não será preciso revalidar o diploma estrangeiro no país nestes casos nesta segunda etapa.

A ausência de exigência do Revalida, em que a formação no exterior é reconhecida pelas autoridades brasileiras, era uma das críticas que o presidente eleito Jair Bolsonaro fazia ao programa. Cuba anunciou sua retirada do programa após as declarações consideradas “ameaçadoras e depreciativas” aos médicos do país caribenho.

O Ministério da Saúde também adiou o prazo para os profissionais formados no exterior se inscreverem. As inscrições estavam abertas até sexta (14), mas a pasta prorrogou o edital até domingo. Os médicos que não têm registro profissional no Brasil, poderão ocupar as vagas que não tiveram candidatos brasileiros com registro no país.

Finalizado o período para apresentação dos brasileiros e de inscrição dos formados no exterior, as vagas remanescentes serão ofertadas de acordo com o seguinte cronograma: nos dias 20 e 21, médicos com registro brasileiro poderão escolher municípios com postos vagos e, nos dias 27 e 28, será a vez dos profissionais brasileiros formados no exterior. Para os profissionais estrangeiros formados no exterior, a escolha de vagas será nos dias 3 e 4 de janeiro do ano que vem.

19/12/2018